São Paulo – A cidade que não para, na visão de uma eterna apaixonada!

Post mais que especial! Minha amiga Nath Triveloni escreveu lindamente para nosso blog, sobre sua terra. Vamos conhecer São Paulo??

Cartão postal

Recebi o convite delicioso de contar um pouco de minhas viagens. Amo viajar e para mim a atividade é para além de um hobby, tornou-se oxigênio e inspiração. Nada se compara à sensação de se levantar vôo, seja na poltrona de um avião ou no próprio roteiro sendo feito, nascendo de experiências, de fotografias cheias de vida.

Pensei em todos os lugares que já estive, mas optei por contar um pouco da minha São Paulo. Sou completamente apaixonada por esta cidade. Sabe paixão? Daquelas que você ama e odeia ao mesmo tempo? Pois então. Minha Sampa é recheada de problemas, de trânsito, de certas complicações, é verdade. Mas ela não é só isso.

Sou uma estrangeira em minha própria terra. Em primeiro lugar, porque tenho cara de gringa e isso me rende boas risadas e indicações para que eu procure os postos turísticos. Mas me sinto assim, porque amo explorar este meu lugar. Adoro procurar restaurantes novos, exposições, parques. São Paulo é uma infinidade borbulhante de opções. Impossível é digerir comentário do tipo “Não tem nada para fazer em São Paulo”.

Como o mapa é grande, decidi fazer um pequeno recorte. Há 3 anos, iniciei uma pós-graduação no centro da cidade. Claro que todo mundo que eu comentava sobre a localização esbanjava preconceito e conselhos. Eu só podia ser louca, foi o que mais ouvi. Um ano e meio de estudos que não só me renderam um diploma, mas também preciosidades. Aprendi a caminhar pelo centro, a entender a vida quase que de interior que cercava Vila Buarque e Santa Cecília. Sim, muita beleza rodeada por degradação, é verdade. A cautela é necessária, mas abrir os olhos e ser acariciado por tanta história não tem preço.

Alguma coisa acontece no coração sim quando se cruza a Ipiranga com a São João, no momento em que sentamos no Bar Brahma pra tomar aquele chopp geladinho. Caminhar até o Edifício Itália, adentrar o Universo do Copan, aquela mini cidade dentro da nossa imensa. E provar o “Café Floresta”, com a broinha de milho mais deliciosa.

Se perder por entre os livros da Biblioteca Mário de Andrade também é uma grande viagem. Da mesma forma que atravessar a popular 7 de Abril e chegar no reduto dos advogados, na Rua Marconi. Ali, numa portinhola, um balcão é disputado à tapas pelo melhor café de Sampa com o melhor pão na chapa. O paraíso se chama “Giramondo”. E nada se compara à alegria dos funcionários quando damos caixinha, eles tocam o sino e gritam um delicioso “OBRIGADO”.

Caminhar até o SESC Consolação, aproveitar toda uma programação cultural. Subir a rua e visitar o Instituto Maria Antônia, para lembrar tempos de repressão que jamais devem ser apagados. Passear por entre os sebos, pelas lojas de materiais artísticos, apreciando os entregadores dos mercados levando as compras em suas bicicletas. E finalizar o passeio num belo café na Padaria Godere Artesanal, com seus pães de ervas, de cenoura, beterraba, bolos indianos, cupcakes fresquinhos e delicioso sucos.

Um tour de quem frequenta e mora na região, bem bairrista, bem aconchegante. Quando penso em São Paulo, este é um de meus roteiros favoritos, onde me sinto demais em casa. Sempre quando posso, me permito voltar no tempo, aproveitar aquelas tardes de sol de outono passeando antes da aula, respirando aquela vida quase de interior, quando eu sentava no “Café Teatro” e observava a vida passar, comendo uma quiche lorraine servida pela Rafaela.

Minha Sampa tem muita comida, muito sabor. Sabor de dias queridos, de vivências eternas e de um cantinho que sempre será meu.

Bem-vindo a este meu pequeno mundo!

1005567_556373174400831_602842529_n

Forte de São Luís: uma delícia de passeio, pertinho de você!

O Rio de Janeiro é lindo e explorar essa cidade vale muito a pena. Pertinho daqui, em Niterói, temos alguns lugares bem legais e que pouca gente conhece.

A pouco tempo, visitei o Forte de São Luís e fiquei maravilhada com a beleza do local. Um passeio gostoso, cercado de muita natureza, história e uma vista belíssima! Vamos conhecer um pouquinho dessa maravilha?

 P1070266

O Forte está localizado no bairro de Jurujuba em Niterói e chegar lá é fácil. Pensei em colocar um mapinha aqui, mas aconselho antes de sair de casa, que vocês pesquisem e entendam o trajeto. É fácil chegar, mas assim como o Rio, Niterói não é tãããooo bem sinalizada….

O espaço onde hoje está o Forte, foi escolhido para abrigar um posto de vigilância em 1567. As obras iniciaram apenas em 1770 e após algumas mudanças, em 1918 Marechal Hermes da Fonseca finalizou o projeto entregando uma estrutura mais moderna, localizada na parte mais elevada do terreno. Foi denominado Forte Barão do Rio Branco em 1938. Seu acervo inclui quatro canhões de 150mm e sua área construída é de 5.850 m2 .  Viu SYA também é cultura 🙂

Ao chegar, você encontra um estacionamento aberto, tranquilo e o melhor, de graça! Logo ao lado, fica uma bilheteria que também é posto para maiores informações. A visitação acontece aos sábados, domingos e feriados das 09:00 às 16:00h. Da última vez que fui, o valor da entrada era R$10,00 e menores de 7 anos não pagam.

Para subir você pega a van do próprio Forte que te leva morro acima até a entrada.  Chegando lá, você inicia a visita guiada (muito interessante, o exército tem alguns militares que explicam todos os cantinhos, todas as curiosidades do local ) e a sensação é incrível. Ruínas belíssimas emolduradas por uma vista de praias deslumbrantes e pontos encantadores do Rio de Janeiro. Uma delícia!

P1070247

P1070261

P1070257

P1070253

P1070288

P1070277  P1070280

P1070284

Dica de Amigo:

– Protetor Solar! Muito, passem mesmo, porque o sol está cada vez pior e o passeio é ao ar livre, é sol na cabeça o tempo todo.

– Usem Tênis. Além de andar muito, em alguns lugares o piso é bem irregular. Conforto é a melhor coisa nessas horas.

P1070260

Fonte: Wikipedia.

Cristo Redentor… Tem como não amar?

“Cristo Redentor, braços abertos, sobre a Guanabara…” (Tom Jobim)

“…Braços abertos na noite, o Cristo Redentor abraça a cidade dizendo: sou eu o teu amor…”(Chico Buarque)

“…Sou pelo estudo e o trabalho em harmonia. O amor e o Cristo Redentor, poesia na democracia…” (Caetano Veloso)

Os mais queridos já cantaram e os mais céticos se renderam a beleza desse monumento… Tem como não amar o Cristo Redentor? Localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro, ele é sem dúvida um dos mais queridos e bonitos pontos da cidade.

DSC_0770

Como o objetivo desse blog é falar de viagens e coisas boas, podemos falar também de pontos turísticos legais de conhecer tanto para quem visita o RJ, quanto para quem mora aqui (pasmem, tem muita gente que mora no Rio e nunca foi ao Cristo…). Vale a pena economizar uma graninha (porque não é barato…) e conhecer essa maravilha. Vamos lá!

O Cristo Redentor está localizado no bairro do Cosme Velho na Zona Sul do Rio de Janeiro. Chegar não é tão complicado. A entrada está localizada na R. Cosme Velho, 513. Por lá, passam as seguintes linhas de ônibus:

Linha 584 / 583 – Cosme Velho / Leblon

Linha 422 – Grajaú / Cosme Velho

Linha 569 / 570 – Lgo do Machado / Leblon

Linha 405 – Ramos / Cosme Velho

Linha 497 – Penha / Cosme Velho

Linha 498 – Circular da Penha / Cosme Velho

Você também pode optar por ir de Metrô ou trem (que eu acho as melhores opções). Se for de trem, pode descer na estação da Central e na Presidente Vargas pegar a maioria desses ônibus que citei a cima ou na própria Estação, pegar o metrô. De metrô, você desce na estação do Largo do Machado e pega a integração (ônibus) que para em frente a entrada. Nessa opção, quando você comprar o bilhete do metrô você pede “bilhete com integração Cosme Velho”, que dá direito ao metrô + ônibus. Sai mais barato que comprar um bilhete unitário normal e depois pagar a integração ou pegar outro ônibus.

Se for de taxi, cuidado. Infelizmente o Rio de Janeiro ainda tem espertinhos que rodam mais que necessário com quem não conhece a cidade. Não aceitem corrida por tiro, ou seja, sem taxímetro. Isso é proibido aqui! Não pode!! Antes de ir, entrem na internet, procurem o mapa e entendam um pouco do caminho. Mesmo sem conhecer é possível e vale a pena pro seu bolso, pode apostar. Para o Cristo você pode subir de três maneiras:

1) De carro pela estrada das Paineiras: Não é permitido ir até a entrada do Cristo de carro. Você tem que parar no estacionamento e pegar uma van credenciada Beltour. Dependendo do dia e do horário não é legal, o estacionamento fica cheio e se precisar parar em algum outro ponto, além de perigoso, você encontra os flanelinhas que encarecem ainda mais seu passeio (ninguém merece…);

2)  De van, que faz o mesmo trajeto de quem vai de carro (parando porém próximo ao Cristo) e possui o preço parecido ao do Trem do Corcovado… Acho sinceramente que não vale a pena…

3) De Trem do Corcovado ao meu ver, a melhor opção! Logo na entrada, você vê a bilheteria para comprar os ingressos que garantem ida e volta além da entrada no Cristo. O valor é R$ 46,00, estudantes, idosos (a partir de 60 anos) e crianças até 12 anos pagam meia.

Dica de Amigo: Quem é do Rio antes de ir vale a pena se informar. Todos os anos temos o Bilhete Carioquinha que dá desconto em várias atividades e o Cristo Redentor é uma delas. Basta levar comprovante de residência. Fiquem de olho!

Os trens saem de 30 em 30 minutos e em época de férias escolares ou finais de semana, é bom chegar cedo. Fica muito cheio e é necessário paciência, mas vale a pena!

 DSC_0509

DSC_0491                                                                                                 (Foto tirada de dentro do trem)

O Cristo Redentor possui 38 metros de altura e foi inaugurado em 12 de outubro de 1931. É uma das Sete novas maravilhas e a segunda maior escultura de Cristo no mundo (choquei!) e de fato é impressionante estar lá. Ele é simples, mas grandioso. Independente de religiosidade é fascinante ver algo tão grande, fixado a metros e metros de altura.

DSC_0647

DSC_0587

DSC_0571

A vista é belíssima, desde a subida até lá, aos pés do Cristo. É possível ver pontos maravilhosos da cidade, desde a Lagoa, Pão de açúcar até o saudoso Maracanã entre outros. Apesar de sempre estar cheio, é um lugar onde você pode apreciar a vista, se maravilhar com a cidade, com o Cristo e é, sem dúvida, memorável.

DSC_0594

DSC_0584

DSC_0669

DSC_0664

Na base do Cristo, existe uma pequena capela que quase sempre está fechada (eu pelo menos nunca a vi aberta) mas sei que abre para pequenas celebrações religiosas e casamentos (um luxo minha gente!).

Você ainda encontra uma cantina (com preços muito, muito acima da média) e embaixo (em chão firme como alguns falam), lojinhas com lembrancinhas do Cristo e do Rio de Janeiro.

Cariocas, gringos, turistas etc etc conheçam o Cristo! É bonito e é o Rio que continua lindo, apesar dos pesares 🙂

DSC_0662-001

Fontes de Pesquisa – Wikipédia e Rio Ônibus (www.rioonibus.com)